Commémorations du 8 mai

JPEG

Le Consul général, Monsieur Damien Loras, a participé aux commémorations de la fin de la Seconde guerre mondiale, aux côtés de la Consul générale adjointe Mme Marie-Christine Lang, des représentants de la police et de la douane, des anciens combattants et des élèves du Lycée Pasteur.

Les représentants de la communauté diplomatique étaient également présents dans une cérémonie placée sous le signe de l’amitié franco-allemande.

Retrouvez ci-dessous le discours prononcé en portugais par le Consul général :

"Senhor Presidente,
Senhores Cônsules Gerais,
Monsieur le proviseur,
Cher Claudio Kassab,
Senhoras e senhores, caros amigos,

A cada ano, no lycée francês de São Paulo e através do mundo, nos reunimos para celebrar um dia de festa, o dia da vitória da liberdade sobre a opressão e a barbárie. Nos reunimos para homenagear todas aquelas e aqueles que, entre 1939 e 1945, combateram para que os nossos filhos, e os filhos de nossos filhos, pudessem viver e desenvolver-se em um mundo de paz. Nos reunimos também, e talvez sobretudo, para celebrar a memória de todos que fizeram, então, o sacrifício de suas vidas. Nos reunimos, no fundo, para ouvir também o testemunho ainda mais precioso desses combatentes que são cada vez menos numerosos ao passar dos anos, e para reascender a memória de milhões de combatentes anônimos nos campos de batalha da Normandia, de Monte Cassino, de Stalingrado, de Salonique, de Guadalcanal, de Berlim, de Tovrouk, e desses milhões de inocentes desumanizados antes de serem assassinados em Auschwitz ou Treblinka.

Nesse ano bem particular, pois celebramos o septuagesimo anniversario do fim da pior das guerras, nos reunimos para não esquecermos, para que os jovens que nos cercam hoje lembrem-se que por detrás das linhas e das datas de um livro de história, existem destinos desfeitos, vidas roubadas, e que se hoje é tão bom viver em São Paulo ou em outro lugar, é porque outros, antes deles, sacrificaram sua juventude e muitos sua vida.

Mas, nos reunimos também para desfrutar de nossa fraternidade reencontrada, o privilégio de viver em um mundo reconciliado : para nós Franceses, em ter como melhor amigo e maior parceiro a Alemanha, que não mais tememos pela sua força mas admiramos pela sua conquista econômica e sua democracia, e a maioria dos nossos amigos ainda, alguns nos honrando com sua presença hoje. Agradeço então meus colegas britânico, russo, alemão, céquo, canadense, americano, dos Paises Baixos por estarem conosco neste dia de grande importância simbólica e de muita emoção para os que se recordam. A França lembra a quem ela deve, aos seus amigos americanos, britânicos, canadenses, russos e de todas as outras nações que nos ajudaram, por ter reencontrado a liberdade.

Ela não se esquece também que o Brasil, de fato, foi o único país da América Latina que comprometeu-se militarmente com os aliados. Ela não se esquece desses milhares de soldados brasileiros que lutaram ao nosso lado na Itália e na França, e ela honra a memória desses 1200 mortos. Agradeço encarecidamente o corpo musical da policia militar do Estado de São Paulo por estar conosco hoje e cada ano, manter vivo esse vinculo.

Mas hoje, podemos celebrar muito mais do que o fim da mais terrível guerra da história. Podemos celebrar, também o fim do mundo que herdamos com esta guerra. Não somente o dos blocos, Oeste e Leste, mas também o mundo da desigualdade entre o Norte e o Sul. E uma sorte para o mundo que o Sul recuperou o Norte, que cada vez mais povos ganham acesso à educação, à saúde, à prosperidade, ao conhecimento. E nossa sorte comum que o progresso, enfim, seja dividido.

Este é o resultado de uma luta, nós homenageamos hoje os atores e os mortos.

Viva a França, viva o Brasil, viva os demais alliados et amigos, viva a humanidade !
"

publié le 05/06/2015

haut de la page