França é premiada na 16ª edição do "Cidadania em Respeito à Diversidade"

A premiação na categoria "Internacional" deve-se à revisão da lei sobre a doação de sangue por homossexuais e ao trabalho da Ministra da Saúde francesa, Marisol Touraine.

No Dia Internacional de Combate à Homofobia e Transfobia, a França é premiada pela APOGLBT – Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo - graças a uma iniciativa governamental de saúde pública.

O reconhecimento veio na 16ª edição do Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade e prestigia a posição francesa quanto à doação de sangue por homossexuais, fruto do trabalho da ministra da Saúde do país, Marisol Touraine - criando um protocolo para que homossexuais também sejam doadores, dentro de algumas especificações do Ministério da Saúde francês.

JPEG

“A partir da primavera de 2016 ninguém poderá ser excluído da doação de sangue por causa de sua orientação sexual, mas a segurança das pessoas que recebem a transfusão deve ser absolutamente respeitada”, afirmou Touraine na ocasião.

Segundo a APOGLBT, a declaração da ministra demonstra o comprometimento do governo francês com a comunidade LGBT e "representa atitudes que precisam ser multiplicadas, pois afetam a vida de milhares de LGBT’s que, diariamente, são vítimas de violência e discriminação por sua identidade de gênero ou orientação sexual". A organização ainda considera que o governo da França merece o prêmio por influenciar outros países também nesse posicionamento em busca de uma sociedade com menos preconceito e mais igualdade.

JPEGA ministra da Saúde francesa, Marisol Touraine

Em novembro do ano passado, o país optou por acabar com uma lei de mais de 3 décadas que proibia homens gays de doar sangue - medida originalmente adotada para conter a disseminação de doenças como a Aids.

Na época, Marisol Touraine, afirmou que a discriminação contra doadores de sangue em potencial com base na orientação sexual é "inaceitável", pois presumia que todos os homens gays têm HIV. Depois de uma revisão da medida em 2012, Marisol optou por acabar com a exclusão que estava em vigor desde 1983.

A premiação ocorrerá no dia 27 de maio a partir das 19h30, na Academia Paulista de Letras - Largo do Arouche, 324, São Paulo (SP).

publicado em 17/05/2016

início da página