França enviará 4 especialistas em museus ao Brasil

Técnicos estrangeiros vão apoiar reestruturação do Museu Nacional, no Rio de Janeiro

[Via EBC]

JPEG

O governo francês enviará quatro especialistas na área de museus ao Rio de Janeiro, para apoiar o governo brasileiro na estruturação de ações de salvaguarda do Museu Nacional e seu acervo, segundo o Ministério da Educação (MEC).

“Vamos colocar nossa rede de especialistas que podem e devem ajudar o Brasil nesse processo, a médio e longo prazo”, disse a ministra da Cultura da França, Françoise Nyssen, durante encontro com o ministro da Educação do Brasil, Rossieli Soares, em Paris. Segundo o MEC, a ministra sinalizou “a ida imediata” desses especialistas.

Soares também teve reunião com o diretor-geral do Conselho Internacional de Museus (IcoM), Peter Keller, na sede da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), em Paris.

O Icom é associado à Unesco e é formado por membros de organizações não governamentais, que estabelece padrões profissionais e éticos para atividades de museus em todo o mundo.

Com a chegada de especialistas em patrimônio da Unesco de Paris ao Rio de Janeiro, nesta semana, MEC e Icom acordaram que haverá reuniões por videoconferência entre as equipes, para alinhamento de ações.

O ministro encontrou-se ainda com o diretor do Museu do Louvre, Jean-Luc Martinez, na última segunda-feira (10). “Na ocasião, expus ao diretor Martinez que, no processo de reconstrução e recuperação do Museu Nacional, ter um projeto em que possamos ter uma ala com acervo do Louvre, seria de uma magnitude sem precedentes” disse, de acordo com nota divulgada pela pasta.

Museu Nacional
Após o incêndio, a reconstrução do Museu Nacional no Rio de Janeiro será feita em quatro etapas, incluindo a possibilidade de cessão de um terreno próximo ao local para que as atividades acadêmicas sejam mantidas.

A primeira etapa será dedicada à realização de intervenções emergenciais, como instalação de um toldo, escoramento de paredes, levantamento da estrutura, inventário do acervo e separação do que é possível encontrar nos escombros.

A segunda etapa depende da conclusão da perícia da Polícia Federal no local. Depois de realizada, será contratado um projeto básico e, com base nele, será implementado o projeto executivo da reconstrução do museu.

A terceira etapa é a da reconstrução. A ideia é usar a lei federal de incentivo à cultura, a Lei Rouanet. A quarta fase poderá ocorrer em paralelo com a obra de construção. É a de recomposição do acervo. O governo pretende fazer uma campanha internacional para a doação e aquisição de acervos para o Museu Nacional.

publicado em 14/09/2018

início da página